As disputas de samba-enredo já estão agitando as quadras das escolas do Rio de Janeiro. Em cada uma, há muitos artistas em busca do sonho de ouvir sua obra na Avenida. No entanto, compor para o Carnaval é uma arte que exige talento, criatividade e trabalho. Além de estar atento à sinopse, é preciso mergulhar no universo do enredo e buscar histórias e curiosidades que vão além do texto proposto pelo carnavalesco.

Foi assim que a parceria de Dinho Artigliri, Kaká, Fernando Nicola, Hugo Da Grande Rio e Marco Moreno trabalhou para produzir o samba 23 do concurso da Acadêmicos do Grande Rio. A escola apresentará o enredo Tata Londirá: o canto do caboclo no quilombo de Caxias, dos carnavalescos Leonardo Bora e Gabriel Haddad, sobre o pai de santo Joãozinho da Gomeia e eles mergulharam na vida do líder religioso.

Fontes

Hugo da Grande Rio explica que conversou com quem conviveu com Joãozinho da Gomeia. “O Joãozinho é padrinho do axé que eu participo, era muito amigo do meu avô, lembro muito dele, de história, também fomos atrás do seu Bambala e da Tia Mimi de Nanã, pessoas ligadas a ele, queríamos captar a visão das pessoas sobre ele.”

Outras fontes de informação para a parceria foram os arquivos pessoais do religioso e a peça de teatro narra a vida da personalidade, Joãozinho da Gomeia – De filho do tempo a Rei do Candomblé, escrita e dirigida por Átila Bezerra, conforme explicou Dinho Artigrilli. “Fomos em busca de todos os tipos de pesquisa que estavam ao nosso alcance. Não só pela Internet, mas também com pessoas ligadas à religião do candomblé. Isso foi muito importante pro resultado final do nosso samba.”

Desfile

A Acadêmicos do Grande Rio inicia o concurso de samba enredo no dia 3 de setembro, a partir das 19 horas, na quadra da escola (Rua Wallace Soares 5 e 6, no Centro de Duque de Caxias). A tricolor será a quinta agremiação a se apresentar, na Sapucaí, no domingo de Carnaval, em 2020, pelo Grupo Especial.

Fonte: Revista Carnaval

Written by

Matriz Africana

Movimento político de união e acolhimento "Matriz Africana", que visa agregar, unir, acolher, conectar e informar a todos os adeptos de religiões de Matriz Africana de forma que se possa empoderar, garantir direitos e proteger a liberdade de culto e os povos de axé. Aqui se troca conhecimento, informação e apoio.